Categorias
Coronavírus Notícias

O Ceará teve 766 pacientes recuperados da Covid-19.

Nas últimas 24h, além de 61 novos casos. Os números são da mais recente atualização do IntegraSUS, plataforma do Governo do Estado, com dados até as 17h27 desta segunda-feira (7).

Com isso, já chegam a 222.473 casos confirmados desde a chegada da pandemia ao Ceará, com 197.105 pacientes recuperados.

Já houve 8.567 óbitos em decorrência da doença no estado. Desses, um foi acrescentado na atualização desta segunda-feira.

No momento, 86.395 pessoas aguardam o resultado de exames. No total, já foram realizados 663.237 testes de coronavírus, segundo o IntegraSUS.

Números da última atualização:

Casos confirmados: 61
Casos recuperados: 766
Óbitos: 1

Números até as 17h27 desta segunda (7):
Casos confirmados: 222.473
Casos recuperados: 197.105
Óbitos: 8.567

Números até as 17h16 deste domingo (6):
Casos confirmados: 222.412
Casos recuperados: 196.339
Óbitos: 8.566

Fonte: IntegraSUS

Categorias
Coronavírus Notícias

Estudo preliminar aponta resultados animadores sobre vacina russa contra COVID-19.

Um grupo de pacientes que participou de um estudo preliminar com a vacina russa contra o coronavírus desenvolveu uma resposta imunológica sem efeitos colaterais graves, de acordo com pubicação da revista científica The Lancet nesta sexta-feira (4).

Esses resultados não provam, contudo, que a vacina, batizada de Sputnik V, protege efetivamente contra a infecção por Covid-19, já que, segundo os cientistas que desenvolveram o antídoto, outros estudos de maior envergadura são necessários

Em 11 de agosto, as autoridades russas anunciaram que sua vacina entrava na terceira e última fase dos ensaios clínicos. Moscou disse, porém, que não esperaria os resultados deste estudo, do qual “milhares de pessoas participam”, porque sua intenção era homologá-la em setembro.

O anúncio foi recebido com ceticismo por muitos pesquisadores e por alguns países, como a Alemanha, que duvidaram de sua eficácia e segurança, principalmente pela falta de dados públicos sobre os testes realizados até o momento.

O presidente Vladimir Putin também afirmou que a vacina garantiu “imunidade de longa duração” contra o novo coronavírus.

Como funciona a vacina
A Sputnik V consiste em dois componentes diferentes, administrados em duas injeções com intervalo de três semanas, relata o estudo publicado na revista médica The Lancet.

É uma vacina de “vetor viral”: usa dois adenovírus humanos (uma família muito comum de vírus) transformados e adaptados para combater a covid-19.

A publicação se baseia em dois pequenos estudos, conduzidos com duas formulações diferentes da Sputnik V, entre 76 voluntários adultos saudáveis.

Ambos concluíram que nenhum dos dois componentes da vacina causou “efeitos indesejáveis graves” e que sua administração sucessiva “gera a produção de anticorpos”.

Eles foram realizados entre 18 de junho e 3 de agosto por pesquisadores dos ministérios russos da Saúde e da Defesa e financiados pelo primeiro.

Vacinas em teste

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem 176 projetos de vacinas em andamento no mundo, com 34 em fase de ensaio clínico. Isso significa que já começaram a ser testados em humanos. Destes, oito estão na fase três, os mais avançados.

Fonte: JORNAL CAUCAIA

Categorias
Coronavírus Notícias

Mulheres têm resposta imunológica mais eficiente à COVID-19, aponta estudo.

Esta é a principal conclusão de um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, e publicada na quarta-feira, 26, na revista científica Nature, uma das mais conceituadas do mundo.

Mulheres têm uma resposta imunológica mais eficiente ao novo coronavírus do que os homens. Esta é a principal conclusão de um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, e publicada na quarta-feira, 26, na revista científica Nature, uma das mais conceituadas do mundo.
Conduzida por cientistas de vários países, inclusive brasileiros, o estudo analisou 98 pacientes (47 homens e 51 mulheres), com média de 60 anos, e identificou que elas desenvolveram uma resposta mais eficiente das células T, aquelas que estimulam a produção de anticorpos ou destroem diretamente as células infectadas pelos vírus, entre eles, o Sars-CoV-2, impedindo a propagação da infecção. Com isso, as mulheres desenvolvem menor número de casos graves de covid.
“Os homens desenvolvem mais respostas inflamatórias de citocinas do que as mulheres no início da covid-19. Além disso, elas apresentam melhor imunidade às células T do que os homens”, afirmou a imunologista Akiko Iwasaki, líder da pesquisa da Universidade de Yale ao Estadão.
As respostas inflamatórias envolvem reações do sistema imunológico que causam o que é conhecido como “tempestade de citocinas” no corpo. Grosso modo, as citocinas são proteínas que estimulam o sistema imunológico. No estudo, os cientistas perceberam que elas estavam elevadas em todos os pacientes com covid-19 em relação a quem não tinha a doença (grupo controle). “E os homens tiveram mais citocinas do que as mulheres”, disse Akiko.
Os pesquisadores alertaram que o quadro grave de uma doença não está relacionado apenas ao funcionamento do sistema de defesa do corpo. Existem diferenças hormonais e comportamentais que podem ser associadas aos quadros mais graves. A pesquisa procura caracterizar apenas a resposta imune de homens e mulheres. O estudo também não ofereceu uma razão para essas diferenças.

Mesmo assim, o estudo oferece uma contribuição importante para um cenário que intriga os cientistas desde o início da pandemia: os homens mais velhos, acima de 60 anos, têm maior risco de adoecer e morrer do que as mulheres da mesma idade. Isso se reflete nas estatísticas. Os homens representam 60% das mortes por covid-19 no mundo. No Estado de São Paulo, o último boletim epidemiológico aponta que entre as vítimas estão 16.836 homens e 12.358 mulheres.
Embora investigue um grupo relativamente pequeno, na opinião do virologista Paulo Eduardo Brandão, o estudo é importante ao apontar certo equilíbrio entre os sexos diante da pandemia. “Os homens têm uma resposta imune menor, mas as mulheres apresentam maior severidade de sintomas. O estudo é útil para nós pensarmos como espécie e não apenas como indivíduos. Surge daí um equilíbrio entre os sexos diante dos efeitos da doença”, avaliou.
Sistema imunológico
O desenvolvimento de respostas imunológicas mais rápidas e mais fortes entre as mulheres no combate ao coronavírus pode estar relacionado à proteção contra os patógenos para a gestação. Por outro lado, um sistema imunológico em alerta constante pode ser prejudicial. Muitas doenças autoimunes, caracterizadas por uma resposta imunológica desproporcional, são mais prevalentes em mulheres.
A eficiência da resposta feminina em relação à masculina prevalece mesmo em idades avançadas. Quanto mais velhos os homens, mais fracas são as respostas das células T.
As conclusões da pesquisa indicam que os homens, principalmente acima dos 60 anos, serão os mais beneficiados quando a vacina for descoberta. Em termos práticos, empresas e instituições que buscam o imunizante contra o coronavírus podem ter de considerar os dados por sexo na definição da dosagem da vacina, por exemplo.

Fonte: jornal O Estado de S. Paulo.

Categorias
Coronavírus

Mortes por Covid-19 no Ceará ultrapassam 8 mil; são 190 mil casos confirmados

Covid-19 no Ceará ultrapassam mais de 8 mil e já são mais 190 mil casos confirmados em todo o estado.

O número de mortes pela Covid-19 no Ceará chegou a 8.011, com 190.550 casos confirmados da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizada às 10h36 desta terça-feira (11). O número de pessoas recuperadas é de 161.997.

O intervalo entre o registro de 7 mil e de 8 mil casos foi de 27 dias. Já o intervalo entre os 6 mil óbitos e os 7 mil óbitos foi de 16 dias. As primeiras mortes pelo novo coronavírus no Estado foram confirmadas em 26 de março, há 138 dias.

O Estado tem ainda 85.437 casos em investigação e 602 mortes suspeitas do novo coronavírus. Já foram realizados 530.010 testes para identificar a presença do vírus. Ao todo, já foram notificados 553.782 casos.

A mortalidade da doença, proporção entre as taxas de casos e mortes, está em 4,2%. Das mortes confirmadas, três ocorreram nas últimas 24h.

Fortaleza lidera os número absolutos da doença: 3.743 mortes e 44.194 casos confirmados. A incidência da enfermidade na capital é de 1.655,6. Caucaia é a segunda cidade em número de mortes no Estado, com 321 óbitos, 5.305 casos confirmados e incidência de 1.467,9.

Em seguida no número de casos está Juazeiro do Norte, no Cariri, com 11.904 casos positivos, 235 óbitos e incidência de 4.341,2. Sobral, na Região Norte, contabiliza 10.357 diagnósticos positivos, 289 mortes e 4.957 de incidência. #cenews #tvsoure #ceara #caucaia #fortaleza #ceara #maracanau #covid19 #coronavirus

Categorias
Coronavírus Notícias

Pessoas com mais de 60 anos já podem retornar ao trabalho no Ceará

Apesar disso, segundo determina o decreto do Governo do Estado, é preciso que elas comprovem imunidade ao novo coronavírus.

Desde o início da pandemia, esta faixa de idade tem sido motivo de preocupação pelas autoridades por corresponderem a um dos grupos de risco. O decreto refere-se a trabalhadores acima de 60 (sessenta) anos ou com fatores de risco da COVID-19 que tenham comprovação de imunidade ou de adoecimento há mais de 30 (trinta) dias.

A prova pode ser feita por exames de detecção de anticorpos e atestado médico que comprove a saúde da pessoas neste tempo. Caso não se enquadre nessas condições, o idoso continua proibido de voltar ao trabalho.

Fonte: CE NEWS